Post Icon

Encerramento do mês: Setembro/2017


Olá Pessoal, tudo bem?

Esse mês até que tem bastante filme, mas tudo culpa acredito que do primeiro final de semana do mês que tive insônia e fiquei no Netflix, porque depois... foi difícil até conseguir assistir dois episódios de Star Wars, que já se preparem vai continuar aparecendo aqui no resumo do mês. Sem mais enrolação vamos começar.

Filmes:


1 - Kiss and Cry (2017): Essa é uma produção canadense inspirada em uma história real e eu mesma me enganei quando fui assistir porque não prestei muita atenção a sinopse, vi que era sobre patinação e como eu queira assistir uma coisa tranquila comecei a assistir, mas na verdade, o filme conta a história de Carley Allison (Sarah Fisher) uma patinadora que foi diagnosticada com uma forma rara de câncer, mas que estava decidida a ser feliz, inclusive uma das frases que ela mais falava era que preferia sorrir, no meio de todo esse turbilhão ela descobre força da música na vida. Um filme inspirador e vamos preferir sorrir!!! ★★★★☆




2 - Presos no paraíso (2015): Depois de inúmeras sugestões do Netflix assisti a essa comédia romântica (eu não me canso de comédia romântica....rsrs....). Tess Nelson (Vanessa Marcil), uma executiva workaholic, acaba perdendo o emprego quando o novo presidente decide que o cargo dela não era mais necessário, mas mesmo assim ela decide ir para uma convenção em Porto Rico para tentar encontrar um novo emprego, mas lá ela conhece Carter (James Denton), um homem desprendido, um viajante sem casa ou raiz e assim, ela conhece uma outra forma de enxergar a vida. Previsível, mas gostosinho! ★★★☆☆



3 - Fazenda dos cisnes (2015): Jennie Newsom (Minka Kelly) é uma ornitóloga workaholic, um tanto solitária e com pouco tato com humanos, principalmente com crianças, porém apaixonada por cisnes. Jack Peterson (Jason Lee) é um viúvo, pai de três filhos: adolescente Stretch, o garoto inteligente Kyle e a esperta e sensível Frankie. Então surge um casal de cisnes no lago da fazenda de Jack e quando a mamãe cisne morre Frankie decide cuidar dos ovos e em busca de informações ela acaba contatando Jennie. E digamos que, esse primeiro contato entre pesquisadora e família foi quente. Bem bonitinho é legal ver o amor da pesquisadora pelo trabalho, assim como, o empenho das crianças para cuidar dos animais e também a interação que surge entre todos eles e que vai mexer com a vida de todos, e claro, todo o paralelo entre a família de humanos e a de cisne. Não é nada extraordinário, mas vale a pena. ★★★☆☆



4 - Começar de novo (2012): Abi Brooks(Sarah Megan Thomas) treinou por anos para entrar na equipe de canoagem e defender os EUA nas olimpíadas, depois de uma intensa bateria de seleção ela é deixada na reserva. Com trinta anos, sem nunca ter feito outra coisa na vida ela se vê de volta a cidade natal sem emprego e sem dinheiro quando ela consegue o emprego de treinadora na sua ex-escola, onde seu ex-namorado é o coordenador dos programas esportivos. E no momento em que ela se sentia mais sem chão e deprimida por não ter seu sonho realizado ela percebe que a vida pode ser feita de mais de um sonho. Mais um filme de esporte, de recomeço e inspiração. Bom, mas dentro da média, sem surpreender. ★★★☆☆




5 - Amor.com (2017): Já que vamos falar de mais uma comédia romântica vamos combinar uma coisa: comédia romântica tem um monte de clichê e é por isso, que a gente gosta. Isis Valverde é Katrina uma youtuber de moda muito famosa e faz dessa a sua profissão. Ela esta participando da inauguração de uma loja quando descobre que alguns de seus nudes podem cair na internet é nessa hora que entra em ação Fernando (Gil Coelho), um nerd, também youtuber, mas de um canal de games bem menos conhecido e depois de ajudá-la o improvável acontece e os dois iniciam um relacionamento. Sim, o clássico os opostos se atraem e depois percebem que nem sempre é tão simples. Gostei muito da ambientação, dessa coisa, tão atual dos influenciadores digitais, das redes sócias, inclusive achei bastante honesto a forma que foi retratado. A Isis mandou muito bem na pele da youtuber de moda, o Gil teve alguma dificuldade de me convencer da sua nerdice. O alivio cômico fica por conta da irmã da Katrina (Carol Portes) e os dois amigos e sócios de canal de Fernando o Panda (João Côrtes) que para mim é sempre o mesmo personagem - o cara da vivo e humorista sem graça Lante (César Cardadeiro). Gostei e acho que vale a pena até para sair daquela tradicional formula de comédia brasileira.★★★☆☆



6 - Entre idas e vindas (2016): Apesar do título clichê de comédias românticas no resto o filme fugiu bem dos clichês, o filme é um road trip quando quadro amigas Amanda (Ingrid Guimarães), Cillie (Caroline Abras), Krisse (Rosanne Mulholland) e Sandra (Alice Braga), que trabalham juntas como atendentes de telemarketing e viajam para a despedida de solteira de Sandra. No caminho eles acabam dando carona  para Afonso (Fábio Assunção), que ficou na estrada com o filho Benedito (João Assunção, filho do ator na vida real) depois que o carro deles quebrou, enquanto eles iam encontrar a mãe do garoto que os abandonou a alguns anos. No caminho, eles acabam pouco a pouco expondo os traumas, medos e tristezas enquanto se conhecem e apesar de todo esse drama tem muito humor e uma interação interessante entre os personagens, principalmente na relação entre pai e filho e as amigas. Achei bem legal e gostei de ver ele fugindo da típica comedia brasileira. ★★★★☆




7 - O amor no divã (2016): Eu não sei o que me deu, mas teve um domingo que eu sai assistindo a as comédias brasileiras no Netflix, mas essa aqui não rolou muito. Aqui temos dois casais em crise no seu casamento Paulinho Vilhena e Fernanda Paes Lemes, não se entendem ela workaholic e ambiciosa, ele mais no estilo tranquilão que prefere curtir a vida ter um jantar, viajar no final de semana e fazer sexo com a esposa em crise eles procuram a Dra. Malka (Zezé Polessa) uma terapeuta de casal que ao atende-los acaba percebendo que pode ter um problema no próprio casamento com Daniel Dantas, sem surpresas, com muitas cenas clichês.. achei bem mais ou menos. ★★☆☆☆





8 - Smurfs (2011): Tenho uma confissão a fazer: eu ainda não tinha assistido esse filme e não me lembro nada do desenho dos Smurfs, então quando alguém fazia uma referencia a eles eu sabia que era uns carinhas azuis de toquinha, mas aí o pessoal falava em Papai Smurf, Smurfette e eu ficava só concordando com a cabeça, mas agora eu venci e já sei quem eles são. Mas vamos ao filme, Gargamel (feiticeiro do mal) descobre onde fica a vila dos Smurfs graças a um descuido do Desastrado (que com toda certeza do mundo é o Smurf mais fofo) e na correria para fugir do feiticeiro ele pega o caminho errado e ele, Papai Smurf, Smurfette, Gênio, Ranzinza e Corajoso caem em Nova Iorque e vão parar na casa do "Legen... wait afor it ....dary" Patrick (Neil Patrick Harris) que esta em um momento complicado no trabalho, pois ele tem uma grande chance, mas se não der certo ele perde o emprego e sua esposa Grace (Jayma Mays, nossa eterna Emma do Glee) esta grávida. É um filme fofo para a família, com as lições de moral típicas, mas que diverte e eu adorei ver Neil Patrick Harris, mas pai de família e menos bonachão.  ★★★★☆              




9 - Star Wars - Episódio 1 - A ameaça fantasma (1999): Mais uma confissão: eu não sou uma nerd raiz, verdadeira, eu não jogo vídeo game e só recentemente a uns dois anos foi que eu assisti Star Wars, mas o episódio 1 eu já tinha assistido em um festival cultural, porém estava uma bagunça tão grande no cinema que me lembro de não ter entendido muita coisa, sem contar que eu nem sabia quem era Anakin Skywalker, enfim, recentemente me deu muita vontade de rever os filmes e vale acrescentar que eu não assisti aos mais novos episódio 7 e Rogue One e também nunca assisti ao episódio 3 porque eu não quis ver Anakin se tornando Darth Vader. Tudo por conta desse menino fofo (Jake Lloyd) desse filme, precisa mesmo falar da sinopse desse filme? Resumindo é aqui onde tudo começa.. vamos conhecer o Anakin Skywalker, Qui-Gon Jinn, Obi-Wan Kenobi, Rainha Padmé Amidala, Mestre Yoda, Jar Jar Binks (o melhor personagem), R2-D2 e vamos saber a origem do C-3PO. Me julguem, mas eu adoro esse filme!! ★★★★★




10 - Star Wars - Episódio 2 - O ataque dos clones (2002): Aqui o Anakin cresceu e se tornou um homem, mas ainda é um Padawan, o que o incomoda e uma missão o faz voltar a se encontrar com Padmé Amigdala que agora é uma senadora (sou só eu ou todo mundo se confunde um pouco com a politica e as relações no universo Star Wars?) e eles se apaixonam (é meio estranho porque ele cresceu e amadureceu e ela continua do mesmo jeito) e bom vai ter muita ação com direito a clones e tudo. Mas aqui Anakin e Kenobi trabalham juntos e é super legal ver eles interagindo (apesar de em alguns momentos Anakin manifestar suas insubordinações) e aí eu lembro do episódio 4 é meio triste saber o que vai acontecer. E é justamente nesse filme que ele começa a se abrir para o lado negro da força entrar, a tristeza, raiva e medo vão ser a destruição dele. Apesar do Anakin começar a me irritar eu ainda gosto muito desse filme e continuo torcendo para que nada do que eu sei que vai acontecer realmente aconteça. Estou com vontade de ir para o universo expandido, mas estou meio perdida, alguém me recomenda algo? ★★★★☆




11 - The ghost in the shell - O fantasma do futuro (1995): Esse é o anime inspirado no mangá e não vou falar muita coisa, pois já falei sobre ele recentemente no post. É muito bom e recomendo, e dificilmente falo isso, mas acho que vale a pena conhecer a história por aqui antes de ir para o mangá. ★★★★☆



Series:

Não assisti nenhuma serie esse mês... preciso voltar para minhas queridinhas, quem sabe outubro não seja mais cheio de boas series.

Internet:

Quero indicar um serie que existe em um canal que provavelmente vocês já conhecem, mas que eu não conhecia e, na verdade, a primeira vez que, eu vi esse youtuber foi na novela Carinha de Anjo - a serie Nostalgia História do Canal Nostalgia são vídeos longos, mas muito informativo, cheios de fatos e a edição é incrível com introdução de partes de documentários, um dos meus preferidos é o sobre a Primeira Guerra Mundial, que geralmente é menos retratada em filmes e series, mas que é extremamente importante para história contemporânea.


Blog:

1 - Resumo do mês de Junho - Parte II: Series
2 - Livros Lidos: Agosto/2017
3 - Resumo do mês de Julho e Agosto/2017
4 - Comentário dos Livros: A promessa da Rosa e A sombra da Rosa
5- Comentário do Livro: Bom dia Camaradas
6 - Comentário Mangá: Ghost in the shell


Até a próxima,

Dani Moraes

Nas redes sociais:
Nós sigam também nas redes sociais: Facebook, Twitter (danipmoraes) e  Instagram (danimoraes02).

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
Post Icon

Livros Lidos - Setembro de 2017



Olá Pessoal, tudo bem?

No começo desse mês achei que seria um mês muito bom para as leituras e que tiraria o atraso, mas depois da primeira semana as leituras foram ficando cada vez mais truncadas, uma vez que, estava completamente sem tempo de ler e quando conseguia parar um pouco para ler acabava dormindo, mas no final, até que não foi tão ruim assim.



1 - A promessa da Rosa - Babi A. Sette - Flores da estação (Novo Século): Essa foi minha primeira experiência com a autora e foi uma grata surpresa, um romance de época escrito por uma brasileira, mas ambientado na Inglaterra. Kathelyn é filha de um conde, mas é uma moça diferente, ela gosta de estudar, viciada em antiguidade clássica, principalmente, os gregos ela sonha em viver aventuras, conhecer o mundo e se principalmente casar por amor e então, ela conhece um homem charmoso e misterioso que ela jura não pertencer ao mundo dela, mas que na verdade é Arthur Harold, o nono duque de Belmont. A historia deles já começa confusa e cheia de maus entendidos e isso se estende por todo o livro, aliás, o melhor desse livro é o enredo cheio de idas e vindas, e muitos maus entendidos e a autora não tem medo de colocar os personagens em situações complexas e irremediáveis. Gostei da interação dos personagens e da química e muitas vezes, eu fiquei tensa por eles. Vale a pena conhecer! Comentário. ★★★★★


2 - A sombra da Rosa - Babi A. Sette (Independente): Esse é um spin off de A promessa da rosa, no finalzinho do livro tem uma passagem do tempo de 2 anos e tem uma cena muito rápida e vemos mais um salto no tempo e não vemos realmente o que acontece nesse período. E é justamente o que vemos nesse conto e é uma delicia acompanhar os personagens eu arriscaria dizer que é necessário, conhecendo a personalidade dos dois sabemos que essa história não ia ser fácil e tranquila. Não posso falar mais nada se não vou dar spoiler do livro anterior. Comentário.★★★★★


3 - Tony Moon está tudo fora de controle, cara! - Pedro Duarte (Leya): Esse é um livro infanto-juvenil que vai contar a história de Tony Moon, um garoto muito organizado, organizado até demais, ele é metódico, pragmático e muito certinho. Mas derrepente tudo começa a dar errado, será uma conspiração para bagunçar com a vida do garoto? Muito divertido, a criança de 10 anos dentro de mim adorou essa história, a imaginação fértil do garoto criando planos mirabolantes e explicações fantasiosas e mesmo assim, sendo inocente o suficiente para acreditar no estudo do Dr.Fez de tudo, super indico, principalmente, para aquelas crianças criativas e aventureiras. ★★★★☆

 4 - Ghost in the shell - Shirow Masamune (JBC): Esse é um mangá cyberpunk que se passa em um Japão em um futuro distópico onde a distancia homem e máquina esta cada vez menor, homens substituem partes do corpo ou até todo ele por corpos cibernéticos e isso, leva a avanços inimagináveis criando pessoas praticamente imortais, mas criando problemas como a invasão do cérebro por hackers e criando questionamentos muito complexos como até onde vai a vida, o que é alma e qual a real diferença entre homens e máquinas. Não foi uma leitura que me empolgou e na maior parte foi um pouco truncada, mas não posso negar a importância dos temas discutidos e a inovação que ele representa. ★★★☆☆
Bom por hoje é isso,

Até a próxima,

Dani Moraes

Nas redes sociais:
Nós sigam também nas redes sociais: Facebook, Twitter (danipmoraes) e  Instagram (danimoraes02).

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
Post Icon

Tony Moon está tudo fora de controle, cara!

Pedro Duarte

Tony Moon é um garoto bacana e muito organizado que acaba vítima de uma conspiração cheia de suspeitos, bom humor e imaginação! Atrapalhado, Tony tem uma imaginação fértil e faz o que for preciso para manter tudo em ordem. Com o melhor amigo, Cabelo, um sanduíche de ricota (os pais não querem que ele engorde!) e um suco de caixinha na mochila, Tony vai descobrir que os dias podem até ser planejados, mas sempre guardam surpresas. E que, às vezes, é legal quando as coisas saem de controle.
Olá Pessoal, tudo bem?

Outubro é o mês das crianças, então vamos ter alguns posts sobre livros infanto-juvenis por aqui.
Hoje vamos conversar sobre Tony Moon, quem eu ouvi indicando esse livro foi a Raquel do Pipoca Musical e eu fui completamente na indicação dela já que eu não conhecia esse livro.

Tony Moon é um garoto muito organizado, organizado até de mais eu diria que ele tem TOC porque ele gosta de controlar tudo e de forma milimétrica e ele realmente se incomoda muito quando algo sai do controle. O livro já começa com ele vivendo uma grande aventura contra o terrível Barbudo e Barulhento, um vizinho sem noção que incomoda a todos com o seu som alto dessa forma entra em ação o grande super-herói Tony Justiça. O melhor amigo de Tony é Cabelo, um garoto bem menos organizado do que Tony.

Todos os dias Tony Moon acorda atrasado para o mundo, mas perfeitamente no tempo determinado por ele, cronometrado, depois de dormir as 8 horas recomendadas por especialistas. Por falar em especialistas, Tony leva muito a serio toda a informação proveniente de estudos acadêmicos. Além de ser muito certinho, ele é metódico e não consegue entender o desperdício ou as coisas que não tem utilidade clara, como canetas coloridas que não podem ser utilizadas nas provas, por exemplo, quando só sem pode utilizar a caneta azul. Esse é o tipo de garoto que é Tony.

Mas um dia a vida do garoto começa a desmoronar, tudo começa a dar errado, coisas pequenas, coisas maiores que vai transformando a vida do garoto em um inferno já que para ele perder o controle é o inferno. Mas ele esta pronto para recuperar o controle, nem que para isso ele tenha que fazer a maior loucura da vida.

Muito divertido, a criança em mim se divertiu demais com essa leitura, acredito que seja mais indicado para crianças entre 9-10 anos.

As ilustrações são um complemento interessante para história e estão bem integrados ao texto.
Título: Tony Moon está tudo fora de controle, cara!
Autor: Pedro Duarte
Ilustrador: Brão Barbosa
Editora: Leya
239 páginas


Até a próxima,

Dani Moraes

Nas redes sociais:
Nós sigam também nas redes sociais: Facebook, Twitter (danipmoraes) e  Instagram (danimoraes02).

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
Post Icon

Ecos

Pam Muñoz Ryan

"Não importa o quanto você não tem, há sempre muito mais na vida para se ter. Portanto, não importa quanta tristeza exista numa canção, vai sempre existir a mesma quantidade de 'talvez as coisas melhorem em breve'."
 

Um conto de fadas dark, que resgata o melhor da tradição dos irmãos Grimm, combinado com delicados momentos do século XX, como as duas grandes guerras e a Depressão econômica que assolou os Estados Unidos nos anos 1930. O resultado é uma fantasia histórica repleta de perigos e beleza, emoldurada pelo poder da música. A aventura começa cinquenta anos antes da Primeira Guerra Mundial — “a guerra para acabar com todas as guerras” —, quando o pequeno Otto se perde na Floresta Negra e encontra as três irmãs encantadas, prisioneiras de uma velha bruxa, que conhecia apenas das páginas de um livro, e acreditava ser apenas uma lenda. Como em um passe de mágica, as irmãs ajudam o garoto a encontrar o caminho de casa. E Otto promete libertá-las, levando o espírito das três dentro de uma inusitada gaita de boca. Ao longo dos anos, o instrumento chega à mão de novos donos: um menino que vê o sonho de se tornar músico interrompido pela ascensão do nazismo; um jovem pianista prodígio que vive num orfanato e luta para não ser separado do irmão caçula; uma filha de imigrantes mexicanos que cuidam de uma casa de japoneses enviados a um campo de concentração dentro dos Estados Unidos, durante a Segunda Guerra Mundial. Personagens com dramas diferentes, mas um amor transformador pela música.

Olá Pessoal, tudo bem?

Esse que é o mês em que se comemora o dia das crianças nada melhor do que conversamos sobre algumas histórias infanto-juvenis. E esse livro me surpreendeu muito positivamente sendo uma das minhas melhores leituras nos últimos tempos.

Ele começa no melhor estilo contos de fadas quando três irmãs sofrem uma maldição e são presas por uma bruxa e para escapar daquela prisão elas devem sair em um instrumento musical, no caso a gaita e até que essa gaita salve uma vida eles permaneceram presas.

Então, o livro muda completamente o clima e passamos realmente para uma ficção histórica na Alemanha na época da ascensão do nazismo Friedrich Schmidt é um menino apaixonado por música, filho de musico, sonha um dia reger uma orquestra, mas ele nasceu com uma mancha no rosto e se vocês lembram das suas aulas de história esse tipo de coisa era considerado como um grande defeito na época do nazismo, você não tinha a pureza e perfeição ariana e deveria ser no mínimo esterilizado para não perpetuar o seu defeito e para ajudar digamos que o pai de Friedrich não era nenhum modelo de alemão para o terceiro reich. Em meio a toda essa turbulência o garoto encontra paz e fortaleza na música, principalmente, aquela que ele faz através de uma gaita muito especial (em nenhum momento fica claro que se trata da gaita do inicio do livro ou se realmente há alguma magia). E então, em meio a uma tensão danada e um cliff-hanger incrível a história termina e passamos para uma outra parte que traz novos personagens.

 
Na segunda parte acompanhamos dois irmãos órfãos vivendo nos EUA e sofrendo as consequências da grande depressão, eles também tem uma ligação muito intima com a música, dado que, a avó deles era professora de piano.  O mais lindo dessa parte é a relação entre os irmãos, o cuidado e o desprendimento que o irmão mais velho tem para garantir o bem estar e felicidade do mais novo é admirável. E mais uma vez, um cliff-hanger que deixa você com o coração na mão, não sei se estou conseguindo me expressar, mas as partes terminam e você tem certeza que nada de bom aconteceu. Quem me acompanha pelo instagram viu como eu ficava a cada final de parte quando eu ia lá  no stories e falava sobre minhas impressões, então se você ainda não me segue adiciona por lá também.

 
E dessa forma, temos a terceira parte, também nos EUA, mas já ali pelo final da segunda guerra em uma outra parte do país, quando acompanhamos a Ivy, uma garotinha descendente de mexicanos e que também tem na música uma forma de conforto e fuga. Aqui uma das coisas mais interessantes é nos mostrar o clima da guerra nos países que não estão no meio do front, mas estão sim envolvidos, aquele terror que faz amigos de longa data se tornar inimigos é muito bem retratado toda a perseguição que os descentes de japoneses sofreram, apesar de estarem a muito tempo nos EUA e se considerarem americanos eles foram perseguidos, tiveram os bens confiscados e sabemos que isso aconteceu também aqui no Brasil não só com japoneses, mas também com os alemães. E mais um final de parte que me deixou prendendo a respiração.


No final, nos temos um fechamento para as três histórias, vamos saber o que aconteceu com cada um deles, mas justamente essa parte é muito rápida e acelerada, gostaria que tivesse sido um pouco mais desenvolvida.


Mas de qualquer forma é um livro excelente, envolvente, não tem como não se sentir próximo aos personagens, além de introduzir o publico alvo a um período histórico bastante conturbado da nossa história contemporânea. Mais que recomendado

Para variar a edição esta a coisa mais linda... faz parte da linha Darklove da Darkside e esta muito caprichada.
 



"Musica não tem raça nem qualquer inclinação!, disse Papai. Todos os instrumentos têm uma voz para contribuir. Musica é uma linguagem universal. Uma espécie de religião universal. Com certeza é a minha religião. A música supera todas as distinções entre as pessoas."


video
 
Ele veio na caixinha do turista literário e de com certeza foi uma das melhores na minha opinião.

 
Título: Ecos
Autor: Pam Muñoz Ryan
Editora: Darkside
368 páginas

Por hoje é isso,


Até a próxima,

Dani Moraes

Nas redes sociais:
Nós sigam também nas redes sociais: Facebook, Twitter (danipmoraes) e  Instagram (danimoraes02
 

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
Post Icon

The ghost in the Shell

Shirow Masamune
 

Influenciado por obras “cyberpunk” do final dos anos 1980 como Akira e por filmes como Blade Runner – O Caçador de Androides, o cenário escolhido por Shirow para The Ghost in the Shell foi o futuro distópico de 2029, onde a alta tecnologia se mistura a uma sociedade decadente e desigual.
É nesse mundo à beira do colapso que a Major Motoko Kusanagi encabeça a Seção 9 da Segurança Pública. Motoko é uma ciborgue altamente treinada incumbida de desmantelar uma série de crimes cibernéticos realizados por um hacker conhecido como o Mestre dos Fantoches.
Em meio à caça ao criminoso virtual, Masamune Shirow insere na trama questionamentos existencialistas, ponderando até mesmo se alguém provido meramente de Inteligência Artificial é, de fato, um ser vivo. E foi exatamente essa mistura de ficção científica, ação e temas filosóficos que fizeram do mangá The Ghost in the Shell uma leitura obrigatória.

Olá Pessoal, tudo bem? Olha só quem ressuscitou... nem vou mais falar com vocês que a vida esta muito corrida e por isso sumi, mas que vou voltar e deixar tudo atualizado porque na verdade isso não esta dando muito certo, mas vamos aí um post de cada vez até porque também não estou lendo muito então nem tem tanta coisa assim para atualizar.

E hoje vamos falar da minha leitura do Desafio Diminuindo a Pilha - Um livro que virou filme/serie e minha escolha original era 2001 uma odisseia no espaço, mas depois eu refleti que o filme de 2001 saiu um pouco antes do livro e além disso, minhas leituras estavam devagar (por falta de tempo) e achei que um mangá ajudaria a dar mais ritmo, um mangá talvez sim, mas não esse mangá...eu levei duas semanas para lê-lo e eu só estava lendo ele.. tudo bem que, eu não estava conseguindo ler muito de uma vez, mas já adianto que essa é uma leitura um pouco lenta.

Ghost in the shell é um seinen  (voltado para o público masculino dos 18 -  40 anos, o que não me impede de forma alguma em lê-lo), publicado de forma seriada a partir de 1989 pela Kodansha e é uma das mais bem sucedidas franquias de mangas e animes (filmes e series) é considerado junto com Akira um dos grandes responsáveis pela popularização dos mangas e animes para o ocidente. Além de, ser uma grande influencia na cultura pop, por exemplo, a triologia Matrix das irmãs Watchowski tem muita influencia da obra, principalmente o anime de 1995.

Abertura do anime
 
Abertura do matrix - qualquer semelhança não é um mera coincidência.
 
O mangá é um cyberpunk: é um subgênero de ficção científica, conhecido por seu enfoque de "Alta tecnologia e baixa qualidade de vida" ("High tech, Low life") e toma seu nome da combinação de cibernética e punk. Mescla ciência avançada, como as tecnologias de informação e a cibernética junto com algum grau de desintegração ou mudança radical na ordem social. (Fonte: Wikipédia).  Ambientado no Japão de 2029, onde toda a revolução tecnologia ocorreu e o limite entre homem e máquina se tornou tão estreito que passa a ser difícil definir onde começa um e termina o outro.
 
A seção 9 é um departamento do governo responsável por desvendar os crimes cibernéticos e a líder da equipe de campo é a Major Motoko, uma ciborgue que teve todo o corpo substituído mantendo apenas o cérebro, mas justamente por possui-lo ainda é considerada uma humana. Cada capitulo do manga traz uma história, um caso que é resolvido, no entanto, alguns capítulos se conectam e há uma história maior, envolvendo o maior hacker de todos os tempos que é conhecido como Mestre dos Fantoches.
 
Além de, toda a parte de ação e ficção cientifica representada pelas novas tecnologias, a história discute muitos aspectos filosóficos, principalmente, quando se discute o que é vida, o conceito de alma e etc. Seria uma inteligência artificial, capaz de pensar por si própria uma forma de vida? Em um momento, a Motoko fala algo do tipo quem se especializa demais esta mais próximo de se extinguir que a diversidade é a fonte da vida (um tema mais do que atual), a história é o toda intermeada por esse tipo de discussão. E essas discussões são muito válidas até hoje, mas pensar que o autor já imaginou tudo isso em uma era pré internet, celular e todo esse tipo de tecnologia que temos hoje é bem incrível.
 
Essa edição esta cheia de notas, incluídas pelo próprio autor, às vezes, essas notas eram um pouco cansativas, mas contrariando uma recomendação no final do manga eu decidi lê-las concomitante a leitura e não me arrependi, pois algumas em ajudaram a entender melhor a intenção do autor e no que ele se baseou, inclusive, ele se baseou em pesquisas reais tanto no rama tecnológico quanto no biológicos e indica algumas outras leituras nessas notas e é justamente por isso, que o destaque do mangá fica para a construção de mundo, muito mais do que desenvolver personagens ou enredos individuais o autor focou suas atenções para o desenvolvimento desse universo tecnológico e distópico.
 
Apesar de entender a grandiosidade e importância do manga essa não foi uma leitura que me empolgou, inclusive, em alguns momentos foi um pouco truncada, mas mesmo assim, acho que vale a pena conhecer.
 
Sempre faço fotos para tentar mostrar um pouco da arte dos mangás e HQs, tentei variar dessa vez e fazer um videozinho, mas não consegui linkar direto aqui no blogger e precisei subir no youtube (e demorou para subir um vídeo com dois minutos), então por favor, me digam se vocês gostaram ou não desse formato.
 
 
 
Aproveitei também para assistir o anime de 1995 dirigido por Mamoru Oshii: Ghost in the shell - O fantasma do futuro, que esta disponível no Netflix e apesar de ter sido lançadas outras continuações e outros animes seriados, esse é o grande clássico que influenciou outras obras pop. Uma curiosidade é que além dos animes e do filme com a Scarlett Johansson (ainda não assisti) essa franquia também gerou romances e até um jogo para Playstation.
 
O anime traz a história principal, aquela que envolve o Mestre dos Fantoches que aparece em uns 3 ou 4 capítulos, e claro, para entendermos melhor a história ele traz algumas cenas e explicações que estão em outras partes do mangá. A Motoko do anime e  mangá são levemente diferentes na personalidade, no anime ela esta mais sombria e seria, no mangá ela tem um certo humor e é muito prepotente, o que no anime não fica tão evidente.
 
Acho que o anime acertou muito, desde de a escolha do enredo principal até as representações, a trilha sonora, achei tudo muito bem feito e consegue te prender e interessar mais do que o próprio mangá e acho uma boa porta de entrada para essa história, talvez seja uma opção mais viável, assistam ao anime e se gostarem leiam o mangá.
 
 
Título: The ghost in the shell
Autor: Shirow Masamune
Editora: JBC
344 páginas
 
Por hoje é isso,
 
E vocês conhecem essa história? Mangá, anime e/ou filme?
 
Até a próxima,

Dani Moraes

Nas redes sociais:
Nós sigam também nas redes sociais: Facebook, Twitter (danipmoraes) e  Instagram (danimoraes02).
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
Post Icon

Bom dia Camaradas

Ondjaki
 

Ondjaki nos traz um convincente relato desses fundamentais anos de mudanças e esperanças. Não mais a visão desamparada e repleta de culpas de alguns escritores portugueses- os "tugas" -que participaram da guerra colonial, nem também a visão militante dos escritores angolanos dos tempos heróicos de Agostinho Neto, mas a visão realista e pragmática de uma classe média que tenta se erguer em meio ao caos. O menino, filho de um alto funcionário do governo, tem um pajem -o "camarada Antônio", cozinheiro e voz de uma certa camada popular -, estuda numa boa escola, que tem professores cubanos, e desfruta de algumas benesses, como pegar "boleia" (carona) no carro do Ministério e contar com telefone e "geleira" (geladeira) em casa. Bom Dia Camaradas é um desses livros não tendo sido escrito para um público específico, acabará, com toda certeza, ampliando o leque, interessando também a esta vasta massa de leitores que o mercado hoje nomeia como "jovens adultos".

Olá Pessoal, tudo bem?

Ondjaki é um autor angolano contemporâneo que teve uma formação no exterior e que se envolve em diferentes formas de arte como: artes plásticas, artes cênicas e até a direção de um documentário. Na literatura vem se destacando, inclusive ganhando prêmios importante como:Camilo Castelo Branco e o brasileiro Jabuti. Atualmente, vive no Brasil, mas segue escrevendo prioritariamente sobre sua Terra Natal.

Em Bom dia Camaradas acompanhamos um recorte na história da Angola nos anos 80, enquanto vivia uma guerra civil, que durou anos naquela disputa que dividia o mundo entre comunismo e capitalismo, a influencia dos colonizadores também ainda era muito vivida, uma vez que, a sua independência ainda era muito recente (1975). Nesse ambiente social e politico turbulento, acompanhamos a vida de um garoto do qual não sabemos o nome, mas que faz parte da elite, uma vez que, seu pai trabalha para o partido, estuda em uma boa escola com professores cubanos e tem empregado em casa o camarada Antônio, que representa o povo mais simples nessa história.

O interessante de acompanhar tudo pelo olhar da criança é que não há uma critica escancarada, mas por outro lado, fica claro o que o autor quis contar através de uma atmosfera de certa forma até cheia de lirismo.

Acompanhamos a surpresa do garoto ao ver a situação que os seus professores cubanos vivem, praticamente na privação, apesar de eles virem de um país que seria o exemplo da igualdade para todos. Outra parte interessante é quando eles recebem a visita de uma tia que vive no Portugal e vemos a surpresa deles nas pequenas coisas do dia-a-dia como o fato da tia não ter um cartão de alimentação e poder comprar o que quiser, desde que, tenha condições da pagar e claro, a cena super tensão quando eles se encontram com presidente da republica.

Com relação a linguagem temos muitos diálogos, inclusive, com muitas palavras típicas da Angola e glossário no final do livro ajuda muito a entender como um todo.

Achei um livro interessante, apesar de não ter me sentido tão tocada ou envolvida pelo mesmo, mas é uma leitura rápida e acho importante para conhecer um pouco mais sobre a Angola. Foi minha primeira incursão com o autor e faz parte do meu projeto que anda devagar, mas vai indo Lendo o Mundo.

Título: Bom dia Camarada
Autor: Ondjaki
Editora: Agir
141 páginas

Até a próxima,

Dani Moraes

Nas redes sociais:
Nós sigam também nas redes sociais: Facebook, Twitter (danipmoraes)e Instagram (danimoraes02).
 

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
Post Icon

A promessa da Rosa (Flores da Temporada)

Babi A. Sette
 

Kathelyn Stanwell, a irresistível filha de um conde, seria a debutante perfeita, exceto pelo fato de que ela detesta a nobreza; é corajosa, idealista e geniosa. Nutre o sonho de ser livre para escolher o próprio destino, dentre eles inclui o de não casar-se cedo. No entanto, em um baile de máscaras, um homem intrigante entra em cena… Arthur Harold é bonito, rico e obstinado.
Supondo, por sua aparência, que ele não pertence ao seu mundo, à impulsiva Kathelyn o convida a entrar no jardim – passeio proibido para jovens damas. Nunca mais se veriam, ela estava segura disso. Entretanto, ele é: o nono duque de Belmont, alguém bem diferente do homem que idealizava, só que, de um instante a outro, o que parecia a aventura de uma noite, se transforma em uma paixão sem limites.Porém, a traição causada pela inveja e uma sucessão de mal-entendidos dão origem ao ciúme e muitas reviravoltas.


Olá Pessoal, tudo bem?

Vamos conversar sobre livro de época? E dessa vez, um livro de época escrito por uma brasileira, sim, temos brasileiros escrevendo romance de época. Eu não sou a maior especialista nesse gênero já que conheço apenas a Julia Quinn e também li Perdida da Carina Rissi que é uma mistura de Chick-lit e romance de época, mas eu vi a Paola do Livros e Fuxicos falando tão bem desse livro e estava precisando de uma leitura leve e resolvi tentar.

Apesar de escrito por uma brasileira o livro se passa no cenário clássico dos romances de época - Inglaterra do século XIX, Kathelyn é filha de um conde, mas é uma moça diferente, ela gosta de estudar, viciada em antiguidade clássica, principalmente, os gregos ela sonha em viver aventuras, conhecer o mundo e se principalmente casar por amor. Então, em um baile de mascaras ela conhece um homem misterioso também interessado em antiguidades e muito, muito charmoso convencida que nunca mais o verá ela decide sair um pouco do que seria aceitável para uma dama e faz um passeio pelo jardim. Esse homem charmoso é Arthur Harold, o duque de Belmont, logo o maior título de nobreza e o que Kathy mais despreza.

Os dois se encontram novamente em sociedade e ele decide que era será a sua esposa a nona duquesa de Belmont e já trata logo de assinar um acordo de casamento como pai da moça e passa a tentar conquista-la. Apesar de completamente apaixonada a moça continua com a sua personalidade forte e irreverente e parte por conta dessa personalidade ela se mete em muita confusão e eu ia lendo e pensando é agora que vai dar "m...". E em uma dessas confusões, associado a inveja e maldade dos outros ela vê a vida dela se transformar completamente.

O livro tem muitas reviravoltas idas e vindas e você começa a pensar, mas como que isso vai acabar bem, um dado momento os dois personagens já se machucaram tanto que você começa a duvidar que eles podem consertar isso tudo e ficar juntos. Por tudo isso, eu achei o enredo mais complexo do que dos outros livros do gênero que eu li e eu amei porque eu ficava tensa com a situação dos personagens. E autora não teve medo de colocar os personagens em situações realmente difíceis e sofridas.

Gostei bastante da escrita da autora, a interação entre as personagens, os diálogos e até as cenas mais picantes são muito bem escritas e consegue te transportar para a leitura.

A única ressalva que eu faço é com o personagem masculino ele é excessivamente possessivo e ciumento e o livro cai naquele erro de mostrar isso como proteção ou amor, quando é só posse mesmo, o personagem se redimi bastante no finalzinho e principalmente no spin off, mas mesmo assim, não gosto de ver esse tipo de atitude.

Título: A promessa da rosa
Autor: Babi A. Sette
Editora: Novo Século
432 páginas

Nesse livro há algumas passagens no tempo e logo no finalzinho tem uma passagem no tempo de 2 anos que termina em uma cena rapidinha e uma passagem no tempo de muitos anos e quando terminou eu fiquei... há não, eu gostaria de saber o que aconteceu, queria mais detalhes e mais da interação entre os dois e não é que eu descobri um spin off.


A sombra da rosa é um spin off que vai contar o que aconteceu depois desse salto no tempo de dois anos  e qualquer coisa que eu falar sobre ele vais ser spoiler sobre A promessa da rosa, mas eu amei muito ficar mais com os personagens e acho que esse é um excelente complemento para leitura original.

E no final dele tem um capitulo que faz referencia ao novo livro da Babi - Não me esqueças e que eu fiquei super curiosa para ler.


Título: A sombra da rosa
Autor: Babi. A. Sette
100 páginas

Tanto o livro quanto o conto são leituras muito agradáveis e perfeitas para um tempo de descontração.


Por hoje é isso,

Até a próxima,

Dani Moraes

Nas redes sociais:
Nós sigam também nas redes sociais: Facebook, Twitter (danipmoraes) e  Instagram (danimoraes02).


 

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS